20 de agosto de 2019

História

O Aikido é uma arte marcial de origem japonesa, desenvolvida pelo grão-mestre MORIHEI UESHIBA, natural de Tanabe, no Japão, nascido no dia 14 de dezembro de 1883 e falecido na cidade de Tokio, no dia 26 de abril de 1969, aos 86 (oitenta e seis) anos de idade.

A longa e profícua vida do fundador foi marcada pela prática de diversas artes marciais.  Desde a infância, iniciou seus estudos com os tradicionais Ju-jutsu e Kenjutsu, tendo aprendido, também, Yagyu-Ryu Ju-jutsu da escola Goto. Quando adulto, já acumulava muitos conhecimentos em  vários estilos, inclusive com armas brancas, tais como a Katana (espada japonesa), o Tanto (faca), o Jo (bastão de madeira), bem como fuzil com baioneta e lanças.

Depois de atingir a maestria nos mencionados estilos, já nos idos de 1915, MORIHEI UESHIBA conheceu o mestre SOKAKU TAKEDA, de quem aprendeu as técnicas da arte marcial conhecida como DAITO-RYU JU-JUTSU, um dos elementos fundamentais para o desenvolvimento de sua própria (que inicialmente denominaria de Aiki-Bujutsu ou  Ueshiba-Ryu Aiki-Bujutsu (1922), posteriormente Aiki-Budo (1936) e, finalmente Aikido a partir de 1942).

Por outro lado, a partir do início da década de 1920, extremamente abalado com a morte de seu pai, MORIHEI UESHIBA passou a seguir os passos do líder religioso da seita Oomoto Kyo, ONISABURO DEGUSHI (pronuncia-se Deguti), aprofundando-se nos estudos da referida religião e da filosofia do Xintoísmo (religião originária do Japão).

Esses fatos influenciariam decisivamente as características técnicas e esotéricas na formação e desenvolvimento do Aikido.

Por fim, todos aqueles que conviveram com o fundador são unânimes em descrever um episódio que muito marcou a sua vida e o próprio futuro da arte marcial que desenvolveu. Trata-se do momento da sua iluminação espiritual.

Diz-se que na primavera do ano de 1925, aceitou o desafio de um oficial da marinha japonesa – mestre em Kendo e armado com uma espada real.

Ueshiba Sensei – com as mãos livres – antevia seus ataques, de modo que, quando aquele os desferia, não lograva atingi-lo. Morihei encontrava-se sempre atrás do atacante, como que a adverti-lo de que, se assim o desejasse, o teria derrotado e ferido gravemente.

Logo após o referido encontro, o Kaiso (criador do Budo Aikido), ao sair do dojo e depois de lavar o suor à beira de um poço, foi andando até perto de uma velha árvore de caqui. De repente, sentiu todos os músculos do corpo se contraírem. Imobilizado por uma força invisível, divina, conseguia apenas ficar parado, em pé, de forma pura, em um vazio absoluto.

Então, sentiu a terra sob seus pés a balançar, ao mesmo tempo em que via inúmeros raios dourados e ofuscantes a cair do céu. “Uma luz solene e majestosa vinda do céu sereno encheu o seu redor”. Em seguida, sentiu que uma forma de KI dourado começou a brotar do solo e envolveu-o suavemente, tenro e macio.

“Transformei-me em corpo dourado!”, bradou interiormente. O Kaiso passou por um momento de reflexão, em meio à curiosidade e a alegria de ver exteriorizado em si um ente superior à realidade.

Morihei Ueshiba sentiu como se seu corpo dourado se expandisse rapidamente por todo o universo. Ao mesmo tempo sentiu uma leveza no corpo e na mente e começou a ouvir o murmúrio dos insetos e dos pássaros, a enxergar o revoar das folhas nas árvores e até mesmo o fluxo do vento. Sentiu a alma saindo do seu corpo e se projetando no universo. Sentiu a natureza e a compreendeu sem, no entanto, pensar nela, percebendo, então, que havia conseguido inserir-se perfeitamente no universo.

“Nesse momento, senti a iluminação espiritual”.

“Colocar-nos em estado de atenção visando à vitória, faz com que deixemos de enxergar. Envolver a tudo com o amor, deixando tudo fluir naturalmente com o Ki é a forma de revelar um mundo de harmonia entre o interior e exterior; entre o Ki, o espírito e o corpo. Neste momento, o indivíduo com maior iluminação passa a vencer por si próprio. Vencer sem sobrepujar, uma vitória verdadeira, uma vitória sobre si, uma vitória instantânea; uma vitória em forma de união absoluta, em forma divina; a vitória em cujo núcleo está a essência espiritual do amor, em que somos quanticamente o próprio universo. Vencer ou perder individualmente deixa de ter significado, existindo apenas, muito além de tudo o que sentimos, o vencer absoluto da divindade marcial. A essência de um caminho para a arte marcial (BU) é direcionar a esse mundo.”

Após esses acontecimentos, a nova arte marcial de Morihei Ueshiba desenvolveu-se de forma extraordinária em todo o Japão e, após o término da Segunda Guerra Mundial, passaria a ser divulgada para outros povos e culturas, sob o comando da Fundação AIKIKAI – Hombu Dojo – quartel-general do Aikido, com sede em Tokyo.

Tal como afirmam os biógrafos do fundador, depois de assistir a uma demonstração comandada por ele, o criador do JUDO (pronuncia-se Judô), mestre JIGORO KANO, declarou que aquele era o seu ideal de Budo (caminho do guerreiro e essência da Arte Marcial) e, por esse motivo, mandou alguns de seus mais graduados discípulos treinarem com Ueshiba.

Por volta de 1942, Ueshiba Sensei isolou-se com sua esposa em uma região montanhosa da província de Ibaragi (pronuncia-se Ibaragui), cidade de Iwama, onde construiu um novo Dojo ao ar livre denominado Aiki-en e um Templo que recebeu o nome de AIKI-JINJA (Santuário Aiki), onde viveu e continuou ensinando AIKIDO até alguns meses antes de sua morte (em 1969, como já mencionado).

A partir de então, KISSHOMARU UESHIBA, filho do fundador, nomeado unanimemente pela diretoria da Fundação Aikikai como o novo Doshu (líder técnico e espiritual da Arte Marcial), assumiu a liderança e a condução dos destinos do Aikido e da Fundação Aikikai, função que exerceu com brilhantismo e sabedoria até o mês de janeiro de 1999, ocasião em que, infelizmente, faleceu. 

A grande expansão do Aikido por todo o mundo deve-se em grande parte ao seu incansável  trabalho, uma vez que não mediu esforços para a divulgação da nobre Arte Marcial criada por seu pai, levando-a para todos os cantos do planeta. Desde o seu falecimento, o atual Doshu passou a ser MORITERU UESHIBA, seu filho e neto do Fundador, que visitou o Brasil no mês de junho de 2006, a convite da FEPAI – FEDERAÇÃO PAULISTA DE AIKIDO e do INSTITUTO TAKEMUSSU BRAZIL AIKIKAI. Na cidade de São Paulo, dirigiu um grande seminário com a participação de mais de duas mil pessoas.